ProcEsc.so SelEsc.tivo | Tcharã!

Oi, oi, oi.

Depois desse título que parece um soluço, lá vamos nós ao resultado oficial do processo seletivo que rolou por aqui nos últimos 30 dias.

DIRETO AO PONTO: Quem garantiu a vaga na equipe da Esc. tá aqui, ó: Alice Lima, potiguar vivendo em Curitiba há dois anos desde que veio cursar o mestrado em Comunicação da UFPR (recém-mestra, aliás, rá!), e Hugo de Oliveira, estrangeiro também – do Rio de Janeiro especificamente, com Curitiba na rota desde que resolveu cursar Comunicação Institucional, na UTFPR, há dois anos. Mais ou menos quando a Esc. nasceu. Coincidência, não?

Eles unem qualidades legais como a formação em comunicação e a capacidade de adequação à equipe e passaram por testes e entrevistas aqui mesmo, na nossa sede em Curitiba-PR. O legal é que eles têm perfis bem diferentes e complementares.

foto alice>>> A Alice passou por um teste de duas semanas por aqui e assumiu com louvor a área de comunicação transmídia da Esc. – você pode conferir o nosso Stories atualizado diariamente e a revolução no nosso blog, nos vídeos que vêm por aí e na nossa recém-criada OLDSLETTER. <3 Ela carrega na vida nômade de quem veio de Mossoró – RN e morou em Malta pra um intercâmbio a flexibilidade e a facilidade em readequar o trajeto quando ele não faz mais sentido. E faz muito sentido que ela, além de ser a simpatia que você vai conferir por aqui quando aparecer para um café, também esteja engajada em questões de gênero. Seu trabalho de conclusão do mestrado foi, resumindo resumidamente, sobre gênero e política – e acompanhamos seu vício em café e sua sobrevivência à dissertação (quase um certificado de sobrevivência na selva, diga-se de passagem) desde que ela foi nossa aluna no fim de 2016, no nosso queridinho da casa: o curso de Escrita Criativa: primeiros passos. Ela também traz a experiência de ter trabalhado na Assembleia em Natal, numa tevê apresentando um programa esportivo (!) e como assessora de uma deputada estadual. Das suas principais referências, escolheu cinco: Novos Baianos, Ariano Suassuna, Frida Kahlo, Anna Zêpa. Carnaval de Olinda (frevo, maracatu, Nação Zumbi, Alceu e marchinhas tudo junto), pode? Pode, sim, Alice – e seja bem-vinda!

foto hugo>> E o Hugo, quem chamou? Lá vamos nós: ele nunca havia sido nosso aluno, mas mandou tão bem na escolha de seus textos para nos mandar acompanhando o currículo e na abordagem que suas respostas se destacaram entre as 222 (cabalístico, não?) inscrições para o processo. O Hugo também tem uma jornada peculiar, cursou três anos de Engenharia de Produção no Rio de Janeiro antes de convencer seus pais de que seu caminho era mesmo a escrita, não à toa, seu argumento de convencimento foi passar no vestibular de Comunicação Institucional numa universidade federal tecnológica em uma das cidades prediletas de sua mãe – e aí convencer os pais a mudar para uma cidade a alguns quilômetros de casa ficou um pouco (não muito!) mais fácil. Ele também reúne outras experiências legais na sua jornada profissional: escreve sobre sexo para um site de tecnologia, foi estagiário do SENAC e também atuou como bibliotecário – mas confessou pra gente que foi realocado já que não era muito fã de bibliotecas em silêncio e acabou fazendo muito mais recomendações de livros a usuários do que só um cadastro no sistema. Suas referências vão do Wes Anderson ao Zico e o fato de se dizer falante nativo da língua Shyriiwook também despertou nossa curiosidade.
Bem-vindo, Hugo!

Well, feito todo esse processo, que nos resta agora? Bem, a gente não é bobo, não, e com esse tanto de gente interessada em estar por perto, tem mais fases daqui em diante. Agora, com o objetivo de montar a equipe de Curitiba para o segundo semestre, nossas vagas eram restritivas a quem já morava aqui E tinha perfil para comunicação e atendimento e novos negócios e criação/ redação. Foram esses os perfis que nortearam essa primeira escolha.

Com a equipe de apoio curitibana, mas não muito paranaense formada, vamos dar início ao processo de avaliação de quem se ofereceu para ser nosso braço em outras cidades ou para quem demonstrou interesse em seguir pela docência – já que sempre tem espaço para curso novo por aqui. Isso vai dar um tanto de trabalho e deve seguir até o fim do semestre, dia 30 de junho. Se você se encaixa em alguma dessas categorias, a gente ainda pode tomar um café.

E se você chegou até aqui, é porque curte um textão. Isso é bom, afinal essa é a nossa matéria-prima, né não? Então, lá vão mais alguns recadinhos: você que não se encaixa em nenhuma dessas categorias (morar longe ou querer ser professor) deve estar se perguntando: posso continuar participando? Posso um dia trabalhar na Esc.? Olha só, agora, neste momento, nesta combinação de astros do calendário, nosso processo seletivo está encerrado, mas, todavia, contudo, entretanto, nada impede que a gente abra outros processos (para jobs específicos e freelas) ao longo do ano e você participe novamente. Mas aí o processo se inicia novamente. A vida é cíclica, não é mesmo?

Acabou, mas ainda quer manter contato? Você pode seguir a gente pelas redes. Aqui e aqui. :) E sempre, sempre que quiser, pode fazer parte da nossa comunidade, participando de nossos cursos e eventos. Aliás, tem festa (+ bazar, + birita) por aqui na próxima semana – e quem sabe seja a oportunidade de nos conhecermos pessoalmente. Você é nossx convidadx!

Até em breve.

Saudações Esc.quianas,
Julie
Diretora & fundadora & algo de escritora ou alguma coisa relacionada Esc.quipe

Arte Contemporânea, com José Carlos Fernandes

eve-babitz-marcel-duchamp-xadrez

Desde a Antiguidade, a literatura tem fortes ligações com as artes visuais, numa relação permanente de correlação e diálogo. Se um escritor é, antes de tudo, um leitor do mundo, não deixa de ser razoável especular que boa parte de sua produção também seja um reflexo de suas influências artísticas – toda palavra ecoa um passado de códigos e imagens. É famosa a citação de Simonides de Cós, via Horácio, de que “a pintura é poesia muda e a pintura é poesia falante”.

Nessa combinação de vozes, alcances e estilos, as ramificações artísticas estão para o autor como o pulmão está para o corpo, sanguíneo, inerente. Dentro desse ciclo de significados, José Carlos Fernandes, jornalista curitibano graduado em Belas Artes, é dos que melhor traduzem essas margens de influência, tanto em suas crônicas para a Gazeta do Povo, onde perfila as diversidades da metrópole, quanto em suas atividades como professor universitário, pesquisador e crítico de arte.

Filho de um casal de imigrantes portugueses, Zeca, como é mais conhecido nas redações e universidades, é um dos mais importantes coeficientes intelectuais da capital. Sua visão singular de humanidades possibilita uma avaliação profunda de como a arte e a escrita caminham juntas, polivalentes.

O curso explorará os diversos conceitos de arte ao longo do século 20, sem reduzi-la a meros passos cronológicos. A proposta, além de repertório, é oferecer uma interpretação mais aguçada dos elementos que envolvem desde a montagem de uma exposição às discussões sobre beleza e cânone. A análise de clássicos, como Caravaggio e Michelangelo, e de trabalhos pop de artistas contemporâneos, como Nuno Ramos e Vik Muniz, permitirá um recorte mais abrangente das conexões entre literatura e artes visuais.

Inscrições para o curso, aqui:

Concurso!

concurso do blog

[foto: Divulgação]

[foto: Divulgação]

Se você acompanha nossas redes sociais, notou que estamos de casa nova, que nosso site acabou de ficar pronto, que novos cursos estão com inscrições abertas e que nosso blog não tem nome. Pois é, com tudo isso acontecendo, deu um TILT e ainda não temos um nome. Por isso, a Esc. convida vocês a embarcarem numa jornada.
Preparem as malas, as mochilas e as lancheiras! Chequem seus pertences: o guarda-chuva da intertextualidade (check!), uma barraca cheia de referências (check!) e uma marmita com muita poesia (check!). Embarquem, então, no concurso da Esc.. Abrimos as portas e confiamos a vocês o cargo de entituladores do nosso blog. Isso mesmo: o concurso é para encontrar o nosso título.
E ele vai acontecer assim: do dia 15/04 ao dia 15/05, neste post aqui, você envia na caixa de comentário a sua ideia, junto com sua identificação (nome, sobrenome e e-mail), com o link do seu perfil do facebook e com o nome da sua cidade. Vamos analisar todas as sugestões de nomes e escolher a que mais se encaixe na proposta da escola.
Regras do jogo:
  1. A primeira regra do concurso da Esc. é: você pode falar do concurso da Esc.;
  2. Cada pessoa só pode mandar UMA sugestão;
  3. As sugestões de nomes para o blog devem ser enviadas na caixa de comentário deste post;
Premiação:
  1. O autor do nome escolhido vai ganhar 50% de desconto para o próximo curso de Redação Criativa da Escola de Escrita [que acontecerá dia 13 e 14 de junho, em Curitiba].
Enquanto esperamos a contribuição de vocês, seguimos o nosso último mês de coisa nova, recém feita. O Manoel explica bem:

Prefácio
Assim é que elas foram feitas (todas as coisas) —
sem nome.
Depois é que veio a harpa e a fêmea em pé.
Insetos errados de cor caíam no mar.
A voz se estendeu na direção da boca.
Caranguejos apertavam mangues.
Vendo que havia na terra
Dependimentos demais
E tarefas muitas —
Os homens começaram a roer unhas.
Ficou certo pois não
Que as moscas iriam iluminar
O silêncio das coisas anônimas.
Porém, vendo o Homem
Que as moscas não davam conta de iluminar o
Silêncio das coisas anônimas —
Passaram essa tarefa para os poetas.

Manoel de Barros

(Via Revista Bula )

Nos despedimos aqui e esperamos para ver todos serem poetas dando nome àquilo que não tem – para sempre ou por um comentário. Também aguardamos curiosos para ver o que traziam nas mochilas e daqui a pouco voltamos com o resultado da nossa jornada do título.
*Qualquer dúvida sobre o concurso e a premiação, entre em contato com a gente pelo facebook, twitter ou sinal de fumaça.

(mais…)