Com quais cursos e oficinas eu vou?

Cursos e Oficinas

Com quais cursos e oficinas eu vou?

Categorias:

Russian

Fotografia de Alexander Anufriev, “Russian Abbey Road”

A hora é de tirar o pó e começar a planejar 2016 com a nossa programação de férias e novo período de matrículas

 

2016 já está acontecendo e, para tanto, retornamos às atividades de espírito revigorado, com novos cursos, workshops e oficinas para 2016. Em janeiro, dentro da nossa programação de férias, estamos com as inscrições abertas para o curso de Redação e Edição de Texto. Ele abraça tudo o que envolve o texto e te ajuda a compreender os mecanismos da escrita e a conciliar os papéis de editor, revisor e criador dentro da produção diária de conteúdo.

Também estamos com matrículas para o curso permanente de Aperfeiçoamento Textual, aquele que coloca em um liquidificador todas as referências e leituras que você vai trocar durante o período e serve em pratos que vão do artigo de opinião à crônica, do conto ao texto satírico.

Ainda este mês, temos a primeira edição do Circuito Esc. de inESCritos. De 25 a 27 de janeiro, são três dias de aulas abertas e gratuitas sobre literatura e escrita criativa. Um dos destaques é Luci Collin, que falará sobre Literatura Subversiva. As inscrições podem ser realizadas na página oficial do evento no Facebook.

No começo de fevereiro, é a hora das oficinas de longa duração, como a de Romance, de Cezar Tridapalli, e a oficina de tradução, com Christian Schwartz. A oficina terá convidados como Caetano Waldrigues Galindo, Adriano Scandolara e Guilherme Gontijo Flores. Em fevereiro, Daniel Zanella também reaparece com a segunda temporada do curso de Literatura Paranaense, agora com novas aulas e duração até dezembro.

Nós desenvolvemos uma metodologia para os cursos da Escola, que se dividem em três eixos. O primeiro é o de cursos relacionados ao repertório, espécie de curadoria de leitura. Um texto para ser texto passa, inevitavelmente, por antecedentes criativos. E nesse ato de ingestão e digestão às vezes falta referência ou fonte. Os cursos de repertório fornecem bagagem de leitura e capacidade crítica, auxiliando o aluno a avaliar em que estágio está escrevendo.

Nosso segundo alicerce é o técnico, que se refere à forma e aos recursos estilísticos expressivos utilizados no processo de organização da narração e do processo de composição do texto. É o passo a passo trazido para o campo da labuta. Um exemplo é o curso de Aperfeiçoamento Textual, que busca apresentar os mecanismos da linguagem e também transformar o aluno em um leitor mais exigente.

O terceiro eixo, que não deixa de conversar com os anteriores, é o que trabalha com a marca autoral, o que também chamamos de poesia da escrita. É quando o aluno-escrevente passa a analisar de maneira mais prática a própria produção e alguns traços de sua personalidade artística começam a ficar mais nítidos. Às vezes, isso só é possível com uma certa maturidade em relação ao texto. “São cursos que buscam uma maior imersão e abrangência de conteúdo, com aulas semanais. De modo geral, nós queremos que o aluno saia de nossos cursos e oficinas ciente de que escrever não é um privilégio de poucos ou uma arte inatingível e mais consciente dos processos de linguagem”, afirma Julie Fank, diretora e professora da Escola.

Em 2015, recebemos em nossa casa importantes nomes do cenário literário brasileiro, como o português José Luís Peixoto, Alice Ruiz, Noemi Jaffe, Luís Henrique Pellanda, Rodrigo Rosp, Reginaldo Pujol Filho, Ana Guadalupe, Ricardo Pozzo, Assionara Souza e Flavio Stein. Em dezembro, criamos o dEsconforto, o nosso jornal formado com textos de alunos e professores. O lançamento aconteceu dentro da segunda edição do Terraço Literário, evento que busca misturar diversas manifestações artísticas, de música às artes plásticas, todas gratuitas.

A programação, que prevê inserção de cursos de curta e longa duração até o final de janeiro, está quase completa. Quem quiser saber mais sobre os nossos cursos pode consultar o nosso calendário no site da Escola.