CONCURSO CULTURAL PASSAPORTE ESC. – REGULAMENTO

Concurso

CONCURSO CULTURAL PASSAPORTE ESC. – REGULAMENTO

Categorias:

Família Dinossauro

A brincadeira é escrever um texto, de qualquer gênero, com, no máximo, dois mil caracteres. Este texto já tem uma personagem predefinida e ela deve aparecer. Não conhecemos muito bem o seu passado. Há pouco foi encontrada na Rua Riachuelo, numa tarde de calor. Um pouco adesivada, meio decaída. Não cheirava hortelã, longe disso, mas sorriu um sorriso pontual e a gente a trouxe para casa. Hoje, todo dia, ela faz tudo sempre igual, participa do nosso café e nos sacode com um barulho preciso, às dez da manhã. É a nossa geladeira. Apesar de ela estar sempre por aqui, a história não pode ter como cenário a Escola e nem pode apresentar qualquer tipo de propaganda. Fora isso, a gente empresta nossa geladeira para a criatividade de vocês.

A participação no Concurso é voluntária e gratuita. Contudo, no caso dos homens sem barba, é preciso apresentar comprovante de alistamento de dois anos no Exército do Brasil, especificamente na cobertura das fronteiras nacionais. Homens com barba necessitam preencher o Formulário Hipster Para Concursos Culturais, com escala de 1 a 10. Rogamo-nos ao direito de não externar a margem de corte. Nem os critérios. Nem facilitar o acesso ao formulário. Às mulheres, basta nos garantir, por escrito, a ausência de vontade de agredir os semelhantes e/ou animais de pequeno porte, além de demonstrar simpatia por bebês antílopes da espécie cervicapra. O uso de coque é terminantemente proibido para ambos os sexos que o/a participante afirmar pertencer;

Podem se inscrever no Concurso quaisquer interessados maiores de 18 (dezoito) anos que não utilizem as seguintes ligações de palavras: só que não, por conta, sdd, é Freud e tudo nosso, nada deles. Não, tudo nosso, nada deles está liberado, contanto que o uso não passe da incidência de três vezes em textos de até dois mil caracteres;

A exemplo de adrianaaaescritora@gmail.com, que escreve sobre amor & dor, tem 20 anos e muito a ensinar em matéria de poesia e visão do mundo, o participante deverá criar uma história de até 1500 caracteres e 15 emoticons sobre PAIXÃO e que contenha as seguintes palavras: eu, contemporaneidade, advento da internet, coração, flanando, autoficção e obtemperar;

A melhor história será premiada com a antologia Céu, Mar, Estrelas, Rios, Universo, da Editora Autopublisher, e uma noite de amor com o redator do concurso literário, contanto que seja limpinho(a) e não ouça Legião Urbana, ao menos durante o ato oficial de premiação;

O participante deverá aceitar os Termos do Regulamento e enviar apenas 1 (um) texto ao e-mail da organização com os seguintes dados: CPF, preferências gastronômicas, fotografias de um cachorro chamado Bob, Certidão de Óbito e login/senha de usuário do Tinder;

Não será permitida a inscrição de participantes que tenham trocado afetos, DR’s, fluídos ou ofensas divertidas durante o sexo com os jurados, exceto em casos de: “não sabia nem o nome dele(a)”, “estava bebâdo(a) e ele(a) falou que gostava dos meus textos” e ser ryko(a);

Serão desclassificados participantes que fazem aspas digitais, mostram a língua em fotos no Facebook, constroem crônicas líricas, ouvem bandas onde os integrantes usam flores nos cabelos ou cantam em nórdico antigo e pessoa que, em conversas aleatórias no bar, conta a última ideia para um conto;

A comissão julgadora será formada por um bebê antílope cervicapra, um Leprechaun, uma pessoa que já integrou diversas antologias e coletâneas, mas não tem livro próprio, um abajur, dois especialistas em Código Morse e uma colônia de fungos suecos;

O prêmio não é individual e pertence à comissão organizadora, que definirá o destino do dinheiro do autor, poupando-lhe o dissabor de gastá-lo de forma inadequada;

O ganhador do concurso não poderá falar mal do concurso. Sequer poderá falar do concurso. Na verdade, ele nem saberá, pois é preciso mais introspecção e menos estardalhaço no meio literário;

O participante será excluído se:

  1. Beber e nos chamar só no fim do rolê;
  2. Não der match em ninguém numa rodada de likes;
  3. Pedir pra alguém da organização avaliar sua ideia para um conto;
  4. Reclamar do frio de Curitiba e/ou fazer uma crônica sobre o frio de Curitiba;
  5. Escrever escritor nos perfis em redes sociais;

É de direito dos organizadores do Concurso não ler os textos enviados em quartas e domingos de futebol, depois do almoço e em reuniões de três horas, à base de café mineiro coado numa máquina de R$ 1099, onde decidimos o resultado de concursos como este, que naturalmente não terá nenhum inscrito.

Esse regulamento não tem nada de verdadeiro, mas há, sim, um concurso, um regulamento e uma promoção. Para ler o regulamento oficial, aqui.

Ah, e o formulário de inscrição aqui².