Tu refusenika, eles refusenikam

Lorem ipsum dolor sit amet, consetetur sadipscing elitr

Tu refusenika, eles refusenikam

Categorias:

Fractais

Favor maneirar nas substâncias, a casa agradece.

 

Olá, seus arquétipos de Charles Bukowski com Caio Fernando Abreu depois depois de um domingo no parque. Hoje voltei de um workshop chamado Fazendo Rocamboles na Rua ao Som de Nick Minaj. Tava bom e pensei na importância de ser livre, leve e solto, como o cruzamento de uma canção da MC Ludmilla com uma recriação infrarrealista das inrizetes.

E quem foi mais free from desire do que Henry David Thoreau, o autor de A Desobediência Civil, livro de cabeceira de Tolstói, Gandhi e Paula Fernandes? Quem não saiu desse paiol de pólvora com vontade de anarquizar, subir no palco com bandas punk formadas por jovens de 16 anos e dizer ao Romero Britto que ele é um cara bem legal, pena que não pode ver mulher?

O maluco era um escalda-pés com ambições de ralé, o maior recusador de todos. Se recusou a pagar cinco doletas para receber o diploma de mestrado em Artes pela Harvard. “Não vale”, teria dito. Se recusou a pagar impostos e financiar guerras. Se recusou a ler originais de mocinhas de vinte anos apaixonadas e que nunca leram Miranda July. Se recusou a viver o mundo literário por preferir mais os bichos da floresta –

quem nunca? Se recusou a dançar em cima da mesa ao som de Vinicius & João Bosco, a dupla sertaneja, aliás, semana que vem em Balneário Camboriú. Anotem aí.

Thoreau era apaixonado pelos bosques da vida. Gostava de escalar árvores em busca de ninhos de águias ou esquilos. O pai tinha uns dinheiros, naturalmente. Em abril de 1844, ele e um amigo fizeram uma fogueira na floresta de Concord, interior do fim do mundo. Bem, a fogueira deu tão certo que acabou se disseminando por 300 acres de mata, destruindo tudo. Esse dia foi louco.

O rapaz construiu uma cabana nas terras do amigo Ralph Emerson, nas rebarbas do lago Walden. Ficou uns dois anos morgando. Traziam-lhe tortas, rosquinhas e chineques de farofa.

 

A receita de chineque é simples:  

  • 2 colheres (sopa) de fermento biológico instantâneo
  • 1 copo (requeijão) de leite morno
  • 6 colheres (sopa) de açúcar
  • 3 ovos inteiros
  • ½ de óleo de soja
  • Farinha de trigo até dar ponto

 

Não era exatamente belo, mas encantador, mesmo com seu pouco apreço por banhos e cabelos penteados – Louisa May Alcott, ó, a conheci, era apaixonada por ele. Nathaniel Hawthorne certa vez disse que Thoreau era feio como o pecado. Para aliviar a fama de sujinho do parça, também afirmou: “Ele não tinha nenhum talento para a riqueza, e sabia ser pobre sem o menor sinal de sujeira ou deselegância”. Sei.

Thoreau tinha inimigos, exceto os governos? O bonde do recalque passava por sua barraca? “Sinto que a minha ligação e obrigação para com a sociedade são ainda muito pequenas e transitórias”.

É isso.

Ah, a vida nos bosques. Existe uma espécie de vespa batizada de Thoreauia em homenagem a ele. Achei que vocês gostariam de saber.

Até!